SEP muda data de leilões do Arco Norte

Secretaria Especial de Portos muda data de leilão do Arco Norte

Na abertura da 22ª Intermodal South America, o ministro-chefe da Secretaria de Portos da Presidência da República, Helder Barbalho, anunciou o adiamento dos leilões das seis áreas portuárias do Arco Norte, no Pará. Previamente agendados para 31 de março, os leilões estão marcados para o dia 9 de junho.

Segundo a Agência Nacional de Transportes Aquaviários, o adiamento aconteceu devido a problemas no sistema de informática que deixaram sem resposta 48 pedidos de esclarecimentos sobre a licitação.

Das seis áreas, duas estão em Santarém, sendo uma destinada a fertilizantes e outra para grãos. As quatro áreas restantes compreendem terminais de grãos, uma em Barbacena e as outras três em Outeiro, próxima de Belém.

O ministro se mostrou otimista em relação à recessão econômica. “O país não vive a primeira e nem a última de suas crises. Vamos superar os obstáculos o quanto antes para vivermos novamente uma rodada de perspectivas positivas. Só nos últimos cinco meses autorizamos R$ 8 bilhões em investimentos para os portos”, afirmou Barbalho.

O ministro ainda destacou a importância do evento, considerado o maior das Américas na área de Logística, Transporte de Cargas e Comércio Exterior, o que evidencia o protagonismo do país na região.

“O Plano Nacional de Logística Portuária (PNLP) projeta um aumento de 103% na demanda dos portos brasileiros até 2042. Na Intermodal é possível encontrar um segmento forte e com força para superar os desafios e atender está grande demanda prevista”, destacou.

Logística ferroviária

Durante o evento, também foi anunciada a criação do movimento Trilhos pelo Brasil. A inicitiva visa identificar os principais gargalos da malha ferroviária brasileira para desenvolver um documento destinado ao governo propondo ações e soluções para o setor. O movimento é formado por mais de 350 executivos da área.

“Nos questionamos porque o sistema está travado e porque as ferrovias não vão além do imaginado. A partir desse princípio, nos reunimos e nos dividimos em seis temas que consideramos primordiais: transporte de cargas, transporte de passageiros, marco regulatório, linhas curtas, investimentos e, o principal deles, porque os projetos já existentes estão sofrendo tantas interferências”, afirmou o diretor executivo da Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos) e presidente de Seção da Confederação Nacional do Transporte (CNT), Rodrigo Vilaça.

O executivo pontuou a burocracia como grande impeditivo para criação de novas linhas férreas pelo país. Segundo Vilaça, o país precisava de R$ 3 bilhões de investimentos anuais para iniciar o processo de recuperação e desenvolvimento do modal.

Author:
LOG
Log CP

NOTÍCIAS RELACIONADAS