A logística de um resgate: voo MH370

Nas últimas semanas o mundo foi tomado de assalto por um grande mistério: o desaparecimento do Boeing 777 da Malaysia Airlines. Com 239 passageiros a bordo, uma enorme quantidade de dinheiro e tecnologia foi utilizada na busca pela aeronave que demandou uma grande estrutura logística de operações.
 

No dia 24/03, infelizmente, foi confirmada a queda do avião no Oceano Índico, pelo primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak.
 

O avião, desaparecido desde 08 de março, mobilizou cerca de 25 países em sua busca, concentrada, em grande parte do tempo, em vastas áreas no norte e no sul da Malásia, após sinais detectados por satélite indicarem que a aeronave estaria em algum ponto de dois corredores, um que se estenderia do norte até a Ásia Central e outro do sul em direção ao Oceano Índico.
 

Um trabalho dessa magnitude e tamanha complexidade envolveu diversos oficiais e exigiu profundos conhecimentos e aplicações da logística para as operações de busca.
 

Só a China afirma ter mobilizado 21 satélites para vasculhar seu território na procura pelo avião, enquanto a Austrália rastreava uma extensão de oceano do tamanho da península Ibérica. Estima-se que foram utilizados mais de 57 barcos e 48 aviões na busca pelo voo MH370.
 

Uma operação como essa demanda esforços consideráveis das equipes de busca, dos profissionais de engenharia e de manutenção dos navios e aviões envolvidos, além das equipes médicas de sobreaviso. Foi preciso sincronizar o trabalho das equipes, mesmo considerando a atuação de países distintos, para que a maior área possível fosse verificada, dentro do menor tempo e atentos ao combustível e às condições climáticas.
 

Aliás, o consumo de combustíveis é extremamente elevado neste tipo de operação, mas não foram apenas as buscas que precisaram de apoio logístico. Houve toda uma logística voltada para suprir as equipes de busca, pois havia a necessidade de conseguirem se alimentar, descansar e cuidar da saúde diante desse cenário de intensos trabalhos.
 

Toda essa ampla cadeia de ações apenas reforça a importância da logística em suas mais diversas ramificações. Uma operação dessa grandeza requer a aplicação de profundos  conhecimentos logísticos por parte dos profissionais envolvidos, diante da necessidade de lidarem com segurança, rastreamento, manutenção e até mesmo com a diplomacia na interação entre os diversos países que participaram das buscas.
 

Infelizmente, apesar de todos os esforços, o resultado final apenas constatou o temor que muitos sentiam e confirmou que o avião desparecido havia, de fato, caído no mar, em uma das maiores tragédias da aviação mundial em toda a sua história.
 

Para ilustrar melhor o tema, observe no gráfico abaixo a contribuição de alguns países na intensa busca pelo voo MH370.
 

 

A logística de um resgate: voo MH370
Author:
LOG
Log CP

NOTÍCIAS RELACIONADAS